O divórcio e o segundo casamento e lícito?

Eu Ruan Fagundes, servo do Senhor Jesus Cristo, morto e ressuscitado com Ele na cruz do calvário, escrevo a vocês meus irmãos, tal entendimento que me foi concedido através do que pude analisar nos sermões de outros irmãos e nas sagradas escrituras.

Toda glória seja data a Deus, pois ele é o detentor de TODO o conhecimento e não nós.

Vamos ver o que diz a palavra de Deus:

Mt 19:03-11 – Alguns fariseus também chegaram até Ele e, para prová-lo questionaram-lhe: “É lícito o marido se divorciar da sua esposa por qualquer motivo?”
E Jesus lhes explicou: “Não tendes lido que, no princípio, o Criador fez homem e mulher;
e os instruiu: ‘Por este motivo, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne?
Sendo assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne. E, portanto, o que Deus uniu, não o separe o ser humano”.
Replicaram-lhe: “Então por qual razão mandou Moisés dar um certidão de divórcio à mulher e abandoná-la?”
Ao que Jesus declarou: “Moisés, por causa da dureza dos vossos corações vos concedeu separar-se de vossas mulheres.
Mas não tem sido assim desde o princípio.”
Eu, porém vos afirmo: “Todo aquele que se divorciar da sua esposa, a não ser por prostituição, e se casar com outra mulher, estará cometendo adultério, e o que casar com a repudiada também comete adultério.” Então os discípulos consideraram:
“Se estes são os termos para o marido e sua esposa, não é vantagem casar!”
Mas Jesus ponderou-lhes: “Nem todos conseguem aceitar essas palavras: somente aqueles a quem tal capacidade é dada"

Sabemos que tudo foi criado por Deus, e Ele viu que era bom, assim também criou o homem.
Ao homem ser criado, Deus viu que não era bom que ele ficasse só, e lhe fez uma auxiliadora idônea, assim inicia-se o primeiro casamento, sendo assim, o casamento criado por Deus.
Antes de tudo, o casamento é uma junção de partes diferentes, ou seja, heterossexual.
De maneira que a união homossexual= mesmo sexo, é uma afronta para Deus, como é descrito em Levitico, "Com varão não te deitaras, como se fosse mulher: abominação é". Levítico 18 : 22.


2º O Casamento de Deus é baseado na “monogamia”, ou seja, podendo casar-se apenas com uma só pessoa, diferente da “poligamia”, que é o casamento de um homem com mais de uma mulher ou vice e versa, como ocorre em países orientais. “E as poligamias registradas no antigo testamento?” Em nenhuma delas Deus aprovou a poligamia! Abraão por esterilidade de Sara, consente em praticar sexo com sua criada Agar na qual nasceu seu filho Ismael, e de Ismael para até hoje só tivemos maldição desta junção, o povo descendente desta procriação vem a serem os mulçumanos que são uns dos principais inimigos dos israelitas, ou seja, a poligamia não resultou em benção, mas a benção foi no filho exclusivo que foi Isaque, fruto da união de Abraão com sua mulher Sara. Outro caso, Davi quando se casa com Bate-Seba, também não é aprovado, não só pelas circunstancia em que aquela união foi iniciada, mas também pela poligamia. A espada nunca saiu da casa de Davi, filhos foram mortos, incesto, desgraça e pranto. Salomão com 300 concubinas e 700 mulheres, se perdeu em sua relação poligâmica. Salomão ao praticar tais atrocidades, colheu em vida a perdição pelas mulheres e teve por castigo a sua descendência comprometida pela idolatria que estas relações o levaram a praticar.

3º O casamento é “monossomático”, a união de dois corpos, resultando em um apenas.
Qualquer ato sexual EXTRA conjugal, torna-se pecado.
Bom, vamos tratar agora do divórcio e do segundo casamento que tem bombardeado a sociedade contemporânea.
Desde o Éden Deus já havia instituído a vitaliciedade do casamento e não aceitando o divórcio em hipótese alguma, muito menos o segundo casamento porem, pela dureza dos corações, pela incoerência de muitos, pela falta de entendimento das escrituras, o divórcio tem sido aceitado, apesar de não ser a vontade de Deus, pois o que uniu Deus, homem nenhum separa.
Lembrando que estamos sobre o conceito de Cristo, não podemos basear nossas vidas em novelas, livros ou praxes mundanos.

Vamos voltar a passagem e discorrer o que foi dito em MT 19:03-11.

03: Alguns fariseus também chegaram até Ele e, para prová-lo questionaram-lhe: “É lícito o marido se divorciar da sua esposa por qualquer motivo?”
04: E Jesus lhes explicou: “Não tendes lido que, no princípio, o Criador ‘os fez homem e mulher;
Os fariseus fizeram uma pergunta sobre o divórcio e o segundo casamento, porem o intuito deles era apenas tentar a Jesus, eles não estavam interessados na resposta, pois já sabia qual era ela, sabia que o divórcio e o segundo casamento não eram licito, queriam apenas achar uma maneira de surpreender a Jesus e o levar ao erro ou contradição, para entregá-lo ao cinéreo, Cesar, Pilatos, Herodes ou até mesmo a crucificação, que foi o que conseguiram no final.
O que significa este prová-lo: Jesus estava na Bereia, onde João Batista repreendeu Herodes pelo seu casamento adultero com sua cunhada Herodías mulher de Felipe seu irmão, sendo assim, eles queriam que Jesus falasse algo que o pudesse deixar mal perante Herodes, assim como João Batista ficou ao repreendê-lo, para que Herodes fosse contra Jesus,como foi contra João Batista e decapitar Jesus igualmente.
Jesus respondeu como em Genesis com uma pergunta: 05 - e os instruiu: ‘Por este motivo, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne’?
06 - Sendo assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne. E, portanto, o que Deus uniu, não o separe o ser humano.

Novamente os fariseus perguntam:
07 - Replicaram-lhe: “Então por qual razão mandou Moisés dar um certidão de divórcio à mulher e abandoná-la?”
08- Ao que Jesus declarou: “Moisés, por causa da dureza dos vossos corações vos concedeu separar-se de vossas mulheres. Mas não tem sido assim desde o princípio.”
Nesta parte os fariseus agora tentam deixar Jesus em cheque com relação às leis de Moises, pois a pena para quem ia contra o templo ou contra as leis de Moises, era a morte, em vista que não conseguiram anteriormente com Herodes.
A resposta de Jesus foi muito mais profunda do que o saber poderia enxergar em simples palavras.
Quem escreveu o Pentateuco?
Moises! Na qual está inserido Gênesis 2-24, onde fala da união mística.
NUNCA foi a vontade de Moises que o homem se divorciasse, ele deu esta concessão pela dureza do coração dos homens da época, que no original significa carnalidade, insensibilidade espiritual, ou seja, eram tão insensíveis, tão carnais, que se o divorcio fosse permitido apenas em caso de morte, matariam a mulher para se casar novamente, para que não se acontece um mal maior, Moises permitiu a carta de divorcio, Dt 24-1: ”Quando um homem tiver esposado uma mulher e formalizado o matrimônio, mas pouco tempo depois descobrir nela algo que ele reprove e por isso deixar de querê-la como esposa, ele poderá dar à sua mulher uma certidão de divórcio e mandá-la embora.
O que isto da de compreensão para graça?
A dureza de coração dos israelitas era por um simples motivo, o espírito santo ainda não havia sido liberado para qualquer pessoa, já nós temos a graça, onde o divórcio pode ser resolvido com o perdão, nós somos sensíveis ao espírito deixando de lado carta de repudio, nós temos um novo homem em Cristo que não tem direito a separação.
Deus não concorda em hipótese alguma com o divórcio, ele ABOMINA tal ato.
O que Deus uniu, homem nenhum separa!
Quando é dito homem, é incluído qualquer tipo de instituição, praxe, autoridade humana ou religiosidade, somente a morte tem o poder de separar as carnes em Deus unidas pelo casamento.

Malaquias 2:14-16: “Mesmo assim, insistes em questionar: “Por quê?”Ora, porque Deus tem sido testemunha entre ti e a esposa que tens desde a juventude, para com o qual foste infiel, não cumprindo a sua promessa de lealdade, embora ela fosse tua companheira, e a mulher da sua aliança matrimonial”.
Ora, não foi o SENHOR que fez deles um só? Eles lhe pertencem em corpo e espírito. E porque um só? Porque ele deseja uma descendência santa e abençoada! Portanto, cuidai atentamente para vós mesmo:
Ninguém seja infiel para com sua esposa, a mulher da sua mocidade.
“Pois Eu odeio o divórcio e também odeio aquele que cobre as suas vestes de violência!”, afirma o SENHOR dos Exércitos. Por isso, procedeis com sabedoria: não sejais infiéis.
Deus sendo testemunha e concedido o matrimônio, não deixa desculpas para dizer que não ouviu conselho ou não tinha preparação para época do matrimonio, pois no momento em que você decidiu e consumou, você se tornou uma só carne, e o Senhor ratificou dizendo que ODEIA o divórcio.

Vamos tratar agora do segundo casamento.

O adultério não é tratado como dissolução do casamento por Jesus, tanto que Ele diz que quem casar com a parte repudiada estará cometendo adultério também, porque o casamento antigo dela ainda é considerado.
Rm 7:2-3: Por exemplo, pela lei a mulher casada está ligada ao marido enquanto ele vive; mas, se ele morrer, ela está livre da lei do casamento.
Por isso, se ela se casar com outro homem, enquanto seu marido ainda estiver vivo, será considerada adúltera. Mas se o marido morrer, ela estará livre daquela lei, e mesmo que venha a ser casar com outro homem, não estará adulterando.
Em 1 Cor 7-39-40 diz: A Mulher está ligada ao seu marido enquanto ele viver. Porém, se o seu marido morrer, ela estará livre para se casar com quem desejar, contanto que ele pertença ao SENHOR.
Entretanto, segundo me parece melhor, ela será mais feliz se permanecer viúva. E nisso, penso também estar em acordo com o Espírito de Deus.
Pois doutro modo, casar com ímpio o que diz as escrituras?
Coríntios 6 advertindo sobre o julgo desigual.
Em efésio 5 a partir do versículo 22, tem mais uma confirmação da grandiosidade do matrimônio e da profundidade da união das carnes.

Vejamos outro caso em 1 Cor 7-12-15 que diz: A Todos os demais, eu particularmente, não o SENHOR, vos digo: Se algum irmão tem mulher descrente, e esta se dispõe a viver com ele, não se divorcie dela.
Da mesma forma, se uma mulher tem marido incrédulo, mas este consente em viver com ela, não se separe dele.
Por quanto o marido descrente é santificado por causa da esposa cristã; e a esposa incrédula e santificada por causa do marido crente. Se assim não fosse seus filhos sairiam impuros, mas agora são santificados.
No entanto, se o incrédulo decidir separar-se, que se separe. Em tais circunstâncias, nem o irmão nem a irmã estão sujeitos à servidão; pois Deus nos chamou para vivermos em paz.
Neste caso é permitido APENAS o divórcio, o segundo casamento NÃO é permitido, ou seja, o irmão ou a irmã não precisa ficar lutando para manter o casamento desigual se a parte ímpia não quiser.
Em todas as passagens Deus mostra a sua vontade que é expressa em abominar o divórcio.
Vamos ver em Lucas 16:18: Quem se separar da sua esposa e se unir a outra mulher estará cometendo adultério; assim como, o homem que se casar com mulher divorciada estará igualmente adulterando.

Voltamos um pouco para Marcos 10:11-12: Então Ele lhes explicou: “Todo homem que se separar de sua esposa e se unir a outra mulher, estará cometendo adultério contra a sua esposa.
Da mesma maneira, se uma mulher se divorciar de seu marido e casar com outro homem, estará igualmente caindo em adultério”.
Bom irmão volte a Mateus 19 para terminarmos de explanar o texto inicial.
09- Eu, porém vos afirmo: “Todo aquele que se divorciar da sua esposa, a não ser por prostituição, e se casar com outra mulher, estará cometendo adultério, e o que casar com a repudiada também comete adultério.”

Já usei e muitas pessoas utilizam o texto de Mateus 19-09 para dizer que pode casar novamente, só que há uma interpretativa errônea neste contexto, sem dizer que na bíblia não informa nenhum texto que aprova o segundo casamento se o marido ou a esposa não for a óbito.
Porque um versículo iria contrariar todas as escrituras por completa?
Será que Jesus iria contradizer toda a bíblia?
Façamos a exegese do contexto nos originais gregos:
Observou o que está escrito ?
“Todo aquele que se divorciar da sua esposa, a não ser por PROTITUIÇÃO...”
Porque não está escrito a não ser por ADULTÉRIO?
O original está escrito “PORNEIA” que quer dizer fornicação ou prostituição, que são dois termos utilizados para a prática do sexo FORA do casamento.
Já adultério no original tem o seu nome por “ Moicheia”
No original quando Jesus vai tratar dos pecados que estão dentro do coração em Mateus 5 ele cita as duas palavras, Moicheia e Porneia, dando o entendimento e a interpretação que são duas coisas distintas.

Os judeus faziam à separação de ambas as palavras.
Porque está tratando de prostituição no texto?
Jesus ali ensina duas coisas, uma é sobre o relacionamento judeu que relata um caso de noivado.
Os judeus ao noivar, tem maior seriedade do que o de nossos relacionamentos ocidentais, e neste caso do noivado que eles ainda não tem relações sexuais, se a mulher neste período cometer “PORNEIA”(prostituição) relação sexual fora do casamento, o marido pode largar dela e casar com outra, em vista que ainda não foi consumado o matrimônio.
Caso exemplo disto é José e Maria, quando Maria ficou grávida, José tentou sair do relacionamento, neste período os dois estavam desposados= noivos e não casados, então José foi embora e a bíblia relata que ele foi JUSTO nesta decisão, ele poderia sair e casar com outra se assim desejasse, pois o casamento não havia sido oficializado.
Em João 8 os fariseus vão chamar Jesus de filho de “PORNEIA” que quer dizer= relação sexual antes do casamento.
Concluído e explicado o significado de ambas as palavras e seu contexto, casar novamente só será aceito por Deus em caso de viuvez.

Não endureça vosso coração para tais palavras.
Que a paz do nosso Senhor e salvador Jesus Cristo fique com todos hoje e sempre.
Amém

Ruan Fagundes

Desde 2014 Todos direitos reservados - Por Amor ao Salvador
Desenvolvedor